BLOG

O papel da planificação de rotas na redução de emissões no transporte de mercadorias

Reduzir as emissões é um dos grandes objetivos, e desafios, do setor logístico. Para o conseguir, é obrigatório abordar a planificação de rotas. Cada vez mais são as estratégias do setor para tentar minimizar as emissões, sendo que esta, particularmente, é fundamental. Se os percursos dos veículos estiverem bem desenhados, a sustentabilidade do transporte de mercadorias fica mais assegurada, sempre com o objetivo presente de, no limite, alcançar uma logística de zero emissões.

 

Como se criam as rotas verdes

 

Habitualmente, as empresas de logística consideram que as rotas mais curtas são as mais eficientes. No entanto, a simples noção de um percurso curto não considera fatores como o tráfego, a orografia, ou as condições meteorológicas. Ainda que mais curta, uma rota que passe por portos de montanha ou por zonas de muito tráfego pode implicar maiores problemas, e portanto provocar o aumento de emissões.

 

Há, no entanto, estudos para apoiar o bom planeamento e prática ambiental do transporte ambiental. Em primeiro lugar, devemos controlar as características do veículo e da carga. Ao tipo de camião, ou outro veículo, e à carga, juntam-se a carga e a rota de distribuição. Estes fatores são as variáveis que determinam o “verde” de uma solução. Tentar angariar mercadoria em percursos onde poderia haver espaço vazio na cabina, é também uma estratégia importante em que, para além do benefício económico, se consegue utilizar uma viagem já prevista para transportar elementos, anulando-se a necessidade de novo transporte.

 

transporte de mercadorias
 

A importância da grupagem

 

Aqui é onde entra em ação a grupagem. Conhecida também como consolidação de mercadorias, trata-se da reorganização e agrupamento de produtos para armazenamento e transporte unificado. Nas suas vantagens, para além da redução de custos operacionais, existe um aproveitamento de espaço no processo, seja em armazéns, seja em contentores ou camiões. Se bem organizado, permite uma distribuição mais rápida das cargas ao destinatários e também facilita o seu seguimento.

 

Mas devemos destacar o apoio que a grupagem presta ao meio ambiente. A partilha de um meio de transporte por diferentes empresas, ou diferentes clientes (indiretamente), contribui para redução de emissões, já que: os meios para realizar o transporte são partilhados; há menos transbordos; veículos maiores podem ser utilizados, e portanto menos quantidade. Este processo também reduz os movimentos da mercadoria, reduzindo o risco de danos na mesma, e portanto a necessidade de substituição ou reparação dos produtos.

 

A planificação de rotas, com a grupagem, é, portanto, imprescindível para conseguir um transporte de mercadorias sustentável. Falamos de uma atuação que incide numa modalidade que representa 83,7% do impacto meio-ambiental. É significativo e deve ser considerado.

Bem-vind@

Bem-vindo ao blog de Moldtrans Group, você vai encontrar as últimas novidades.
Cadastre-se e siga-nos via RSS ou por e-mail. Feliz por ter você por perto!

Tweets Recentes
Siga-nos no Facebook