BLOG

Chaves para Entender a Escassez de Contentores Marítimos Que Está a Elevar os Preços do Transporte

O sector dos contentores marítimos tem sido um dos mais afetados pela pandemia de Covid-19. Isto deve-se, principalmente, à escassez de espaço nos contentores e ao exorbitante aumento do custo do transporte marítimo. Calcula-se um aumento médio de 328% desde março de 2020 o que, aliado ao facto de 80% dos produtos de consumo serem transportados por esta via, significa que esta situação afecta intensa e diretamente o comércio global, com consequências também para o consumidor final.

 

Para entender este processo, é importante conhecer os motivos base que explicam a atual escassez de contentores. Podemos sintetizar esta complexa situação em quatro pontos, que exploraremos abaixo.

 Preços do Transporte

1. A Situação Gerada pelo Confinamento em Geral

O confinamento da população nos últimos meses mais duros da pandemia afetou mundialmente a economia mundial. A nível portuário, o constrangimento relacionado com o confinamento provocou o encerramento de delegações logísticas, a redução do número de trabalhadores e a diminuição de barcos ativos; uma conjuntura que afetou negativamente indústrias importantes como a automóvel ou a informática, devido ao deficiente abastecimento de componentes e matérias-primas. A brecha económica que aconteceu produziu o aumento de blank sailling (viagens canceladas) por parte das companhias marítimas, particularmente em rotas oriundas da China.

 

2. O Rápido Posicionamento da China como Principal Fornecedor de Mundial de Provisões Médicos e Produtos Tecnológicos

A China consegue muito facilmente reativar a sua produção e acelerar exportações. A título de exemplo, entre março e maio de 2020 foram enviadas 70 mil e 600 milhões de máscaras para todo o mundo. Simultaneamente, assiste-se a um aumento na procura de produtos tecnológicos, muito devido à intensificação do teletrabalho, das aulas virtuais e da comunicação digital, componentes na sua esmagadora maioria produzidos na China e que, portanto, contribuem para a aceleração das exportações a partir de lá. A própria cadeia logística e de abastecimento não está preparada para fazer frente a esta concentração de capital.

 

3. Diminuição das Exportações desde os EUA até à China

Nos primeiros meses da pandemia houve um desequilíbrio acentuado das exportações entre os Estados Unidos e a China. Enquanto que a China aumentou o envio de contentores para o país americano em 12%, o tráfego no sentido contrário diminuiu 14%. Contentores vazios foram devolvidos à China para além de ter havido um forte colapso nos portos norte-americanos que não funcionavam em pleno rendimento durante a pandemia.

 

4. Falta de Regulação Efetiva que Controle o Transporte Marítimo

A falta de regulação objetiva e eficaz que organize o transporte de contentores não ajuda. A existência de tal controlo, ajudaria, por exemplo, nos excessos de blank sailling arbitrariamente decididos por operadores, reduzindo a especulação de mercado. Ainda que tenha sido um recurso muito útil perante a descida de procura em tempos pandémicos mais complexos, atualmente limita-se a reforçar o desequilíbrio entre a oferta e a procura.

 

A pandemia de Covid-19 é uma situação nova, inédita para o mundo contemporâneo; as suas consequências ainda se sentem depois de mais de ano e meio a lidar com esta realidade. É preciso que haja um equilíbrio entre o choque que esta realidade provocou, e provoca, e as capacidades reativas do mercado e da indústria.

 

 

0 comentários
Bem-vind@

Bem-vindo ao blog de Moldtrans Group, você vai encontrar as últimas novidades.
Cadastre-se e siga-nos via RSS ou por e-mail. Feliz por ter você por perto!

Tweets Recentes
Siga-nos no Facebook